O que Dona Irene aprendeu e ensinou sobre Zé Pelintra

Zé Pelintra, ilustrado por Weber Bagetti, na revista Graciliano nº 14

Zé Pelintra, ilustrado por Weber Bagetti, na revista Graciliano nº 13

Um dos lugares onde eu mais aprendo e me emociono é dentro de casa. Minha avó, Dona Irene, se delicia com a nova edição da revista Graciliano e faz festa por conhecer a real representação da entidade “Zé Pelintra”, sobre quem ela “ouvia muito falar quando era criança, em Pernambuco”.

– Eu ouvia muito sobre ele, mas muita coisa ruim. Agora descobri que é meu conterrâneo. É muito bom ler. A pessoa que não lê e não aprende, não tem valor.

Dona Irene queria ser professora, mas só teve oportunidade de estudar até a quarta série do Ensino Fundamental. Até hoje, porém, tem sempre nas mãos, sob os olhos, qualquer coisa que tenha três ou quatro letras escritas. Também adora lápis, caneta e papel limpo, onde traduz muitos pensamentos em cordel.

Zé Pelintra e outras entidades e orixás das religiões de matriz africana foram ilustradas pelo artista plástico Weber Bagetti na revista Graciliano nº 13, para a qual tive o prazer de também escrever sobre uma pesquisa da Ufal que mapeou os terreiros existentes em Maceió.

Você pode conferir as imagens e os pontos de venda da revista no Blog da Graciliano. É só clicar aqui! 

😉

Anúncios