Dona Cecília no país das excelências

Advocacia, União, royalties, CPI, Câmara, deputados, cotas, viagens, irregularidades…

Brasil. Aliás, mais uma dose: Brasil!

Editorias de Política País afora estiveram em polvorosa nesta semana. A imprensa nacional esteve em polvorosa. Âncoras de telejornais se apressavam para noticiar “escândalo” atrás de “escândalo”, normalmente num bloco só, para nem dar tempo respirar.

Mas em algum lugar deste Brasil, sentada em sua cadeirinha, tomando seu cafezinho diário, dona Cecília respirava. E ria daquilo que se acostumou a chamar de “palhaçada”. Ela, que nasceu em uma remota comunidade pernambucana, no finalzinho de 1943, como a maioria dos brasileiros, se acostumou.

Pois bem. A gargalhada maior veio quando alguns senhores engravatados – para ela, artistas circenses – se exaltavam na telinha. “Vossa Excelência não tem competência para estar aí, me respeite!”, reclamava um. “Vossa Excelência também me respeite!”, rebatia outro, “pensa que está falando com seus capangas no Mato Grosso?”.

— Olha como é engraçado “gentão” brigando! É Vossa Excelência pra cá, Vossa Excelência pra lá… Se fosse pobre era “Filho da p*, toma jeito, seu safado!”.

Dona Cecília não sabia que os protagonistas da discussão eram o ministro da Justiça Joaquim Barbosa e o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes. Também se atrapalhava para explicar sobre o que os senhores discutiam. Mas de uma coisa a sabedoria adquirida ao longo dos 65 anos de nacionalidade brasileira permitia ter certeza:

— Se fossem pobres, teriam vergonha de uma coisa dessas. Esses daí, não. Daqui a pouco tão é tudo junto de novo.

Parecia até pauta pronta para o noticiário do mesmo dia.

Anúncios

5 comentários sobre “Dona Cecília no país das excelências

  1. Concordo plenamente com a Dona Cecília. Além da surpresa de ver “figurões” do Supremo discutindo, a segudna coisa que veio à casa foi o tratametno de “vossa excelência” mesmo para xingamentos graves.

    Enquanto isso, muitos acharam normal e o “excelentíssimo” presidente comparou com a violência no futebol. PAra Lula, se não permitirmos discussõs no STF temos que acabar com o futebol.

    Mais uma para o conjunto lulístico de ser presidente.

    Ah, ótimo texto!

  2. Mais uma vez a simples sabedoria de quem já viveu um bocado é mais coerente e digna que a falsa formalidade e intelecto de quem alcança os mais prestigiados cargos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s