Putz! Testas e mãos

Como já sabem, o Putz! está virando categoria. Então, continuando o processo de migração, mais dois posts já publicados aqui no Cassilda. Ah! Dose dupla do jornalista Carlos Nealdo (que eu adoro, diga-se de passagem). Divirtam-se..

___________________________________________________________________

Que testada!

Genteee.. essa ainda tá quentinha, foi na última terça-feira. Mais uma do jornalista Carlos Nealdo! Estou até preocupada que esse rapaz vire pauta permanente aqui no Putz!.

Imaginem vocês: uma pauta de última hora para cobrir na Polícia Federal, bandidos nervosos com as respectivas prisões, uma correria, gente para lá e para cá, e você, humildemente, dá de cara com a porta. O quê? Figura de linguagem? Longe disso! Nealdo meteu a testa MESMO na porta da Polícia Federal. Mas entre sangue e gelo derretido, a matéria tava prontinha no jornal da manhã seguinte.

Ele mesmo conta a história direitinho, vejam lá blog Tapa de Humor.

______________________________________________________________________________________________

O desprazer é todo meu.

O jornalista Carlos Nealdo sai da página principal e vem para a sessão “queimação” do blog.

E eu já começo com aquela desculpa clichê: “No início da carreira..”

Bom.. Nealdo, jovem repórter do jornal Tribuna de Alagoas, foi entrevistar o já falecido Gerônimo Ciqueira da Silva*, então presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Alagoas (Adefal). Na pauta, informações sobre políticas públicas para deficientes físicos, mas nada sobre a aparência física do entrevistado. E Nealdo, o inexperiente repórter, pouco tinha ouvido falar sobre ele..

>> Já imaginou o desfecho? AposDesprazerto que não: é pior que isso!

O repórter entra na sala do presidente da associação e o encontra sentado, baixinho, por trás daquela gigantesca mesa, que deixava pouco da sua cabeça à mostra. O entrevistado falava ao celular, usando a cabeça para apoiar o aparelho sobre o ombro.

Foi aí que aconteceu. Nealdo, o empolgado repórter, aguarda o entrevistado encerrar o telefonema, se aproxima da mesa e estende a mão para cumprimentá-lo, num gesto mais acalourado impossível. Ficaram os dois, o frustrado repórter e o cativante entrevistado, a se olharem por alguns eternos segundos, até Gerônimo receber um tapinha – sem graça – nas costas.

>> A entrevista?? Nealdo jura que não ficou comprometida pelo feito..

(A história acima é verídica e foi relatada pelo próprio Carlos Nealdo, hoje editor do jornal Gazeta de Alagoas. Dizem as más línguas que foi nessa época que ele começou com os trocadilhos..)

* Gerônimo da Adefal, como era conhecido, “era portador de deficiência física, foi uma das crianças vítimas da talidomida – medicamento usado na década de 50 para controlar ansiedade, tensão e náuseas. Em decorrência disso, Gerônimo nasceu, em 12 de agosto de 1956, com uma série de deficiências físicas. Quando consumido nos três primeiros meses de gestação, o medicamento causa a deformação do feto, provocando o encurtamento dos membros junto ao tronco”. (Fonte: G1)

Natural de Mar Vermelho (AL), foi vereador por Maceió por dois mandatos – de 01/01/2001 a 31/12/2004, pelo PPS; e de 01/01/2005 a 31/12/2006, pelo PSB, quando renunciou para assumir o mandato federal. Nas eleições de outubro de 2006, foi eleito deputado federal pelo PFL, com 71.209 votos. Faleceu em 11 de março de 2007, em Brasília, vítima de pneumonia.

Anúncios

Um comentário sobre “Putz! Testas e mãos

  1. Nealdo é ótimo!!! E vc tb, por não esconder essas pérolas!

    ADOREI o seu comentário no meu blog =D

    Estou sempre dando uma passadinha por aqui!

    Bjão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s